sexta-feira, 14 de março de 2014

Além das Eras - Introdução*

Quando eu vou parar de me culpar? Isso vai ter fim? Quando vamos ser felizes como a família que somos? - Tantas perguntas...tantas incertezas...até entender que as respostas não vêm no nosso tempo, mas no tempo devido...

Porquê a culpa? Por ter salvo quem talvez não devesse, mas enquanto existir esse 'talvez' eu sei que de qualquer forma fiz a coisa certa, mas isso definiu tudo o que passamos depois e por depois eu não me refiro a anos, mas a milênios...mas essa é outra história, apesar de ser a mesma.

Marcas de um passado que irrompem não apenas a alma e às lembranças, mas marcas físicas provam o que fora vivido, embora a riqueza de detalhes e as lembranças em conjunto já dissessem isso...marcas que já deveriam ter cicatrizado há muito, mas de qual forma se espera isso? Dizendo a si mesma, simplesmente passou? Não, não passou, porque não foi resolvido, prova disso é ainda estarmos aqui.

Há tanto a ser dito, mas quase nada a ser compreendido...
Há tanto a fazer...
Há tanto a entender e lidar...
E o destino não parece querer esperar!

Também após tanto tempo, o que não há é tempo a perder, porque sinceramente ainda há uma vida a ser vivida em alegria e a próxima já conhecida deverá ser de júbilo e bálsamo como nunca antes fora.

E por uma força maior que nos protege em todo esse caminho e por nossas próprias forças unidas, eu creio que conseguiremos dar ao destino o que lhe é devido, a conclusão! E então seremos o que nunca fomos, uma Família, conhecendo nossos passados e potenciais e ainda assim juntos, sem mais ninguém a nos separar.

Rumo a conclusão!

(Ainda confuso(a)? Fique atento(a) para os próximos posts sobre esta história que remonta milênios!)

Ass: Alguém do Passado!